SANTIDADE – OPÇÃO OU CONDIÇÃO DE UMA VIDA?

 

Diante da necessidade de uma realização pessoal, estamos sempre nos questionando em busca de quem somos e para que estamos aqui. Podemos encontrar essa resposta na visão que a fé nos proporciona acima de qualquer tese humana que queiramos apresentar.

Só uma via poderá nos dar essa resposta concretamente, pois só na SANTIDADE o ser humano se torna aquilo para que Deus o criou. Só na santidade o ser humano chega à verdadeira harmonia consigo mesmo e com o Criador.

Santo Agostinho no ensina que o homem é, por natureza e por vocação, um ser religioso. Porque provém de Deus e para ele caminha, o homem só vive uma vida plenamente humana se viver livremente sua relação com Deus. Somos feitos para viver em comunhão com Deus, no qual encontra sua felicidade: “Quando eu estiver inteiramente em Vós, nunca mais haverá dor e provação; repleta de Vós por inteiro, minha vida será verdadeira” (CIC 2001)

A SANTIDADE não é, todavia, uma perfeição “fabricada” ela atinge-se por união com o amor encarnado, que é Cristo. Quem, deste modo, atinge uma vida nova, torna-se e descobre-se santo. Como nos diz a Beata Madre Tereza: “A SANTIDADE não é o luxo de umas e poucas pessoas, mas um simples dever para ti e para mim”

“O homem é, por natureza e por vocação, um ser religioso” por natureza porque tendo sede do infinito, nunca se satisfaz inteiramente com as criaturas que se lhe apresentam pelos sentidos, por serem estas relativas e finitas. O homem tem sede natural de algo absoluto e transcendente que o tome por inteiro, em todas as suas potências, e na própria essência de sua alma de modo eterno e infinito.

Com isso podemos concluir que só seremos livres dos “vazios interiores” quando decidirmos definitivamente concentrar todo nosso empenho na busca do ABSOLUTO, que é nosso próprio Deus. Devemos desejar ardentemente a cada dia viver essa experiência profunda e pessoal com Deus, por meio dos elementos visíveis que temos, na oração, sacramentos e vivencia da sua santa palavra.

Ser Santo não é missão impossível, mas necessidade da uma alma que procura a verdadeira felicidade. Os santos foram e são felizes porque não dependem das circunstancias de sua vida, mas inteiramente da graça de Deus. O Santo não precisa de “coisas” o Santo precisa de Deus. E você, precisa de quem?

 

César Quirino

Fundador


FALE CONOSCO

  • Rua João Ridley Bufford,79 – Centro Santa Bárbara d’Oeste – SP
  • (19) 3044–3898
  • contato@operariosdamesse.org.br
  • Como Chegar

Pedido de Oração

Pesquise aqui