Ide por todo mundo e pregai o Evangelho a toda Criatura!

A missão de evangelizar é dever de todo Cristão Batizado. O Batismo nos torna cidadãos do céu, mas não um cidadão isolado. Como batizados, fazemos parte da Igreja, que é o corpo místico de Cristo. Através do Batismo, nos tornamos filhos de Deus com a missão de professar diante dos homens a fé que, pela Igreja, recebemos de Deus e a participar da atividade apostólica e missionária do povo de Deus.

 

Este professar da nossa fé não consiste somente ir e realizar grandes pregações. Mas do que falar com palavras, nossa missão consiste em anunciar o Evangelho com nossa vida. São Francisco de Assis nos ensina: “Evangelize sempre, e se necessário, use palavras!”

Somos chamados a ir e evangelizar o tempo todo, pois a grandeza do anuncio não está somente nas palavras, mais também na vivencia da radicalidade do evangelho. A primeira ordem na fidelidade é na vivencia nos pequenos atos. É diante desse contexto que podemos realizar o exercício pleno de nosso dever como Cristãos Batizados.

O Batismo sela o cristão com um sinal espiritual indelével ("character") de sua pertença a Cristo. Este selo batismal capacita e compromete os cristãos a servirem a Deus na missão da Igreja, e a exercerem seu sacerdócio pelo testemunho de vida.

Desde os primórdios do Cristianismo, nossos irmãos na fé nos deixaram o legado de Cristo pelo testemunho de sua vivencia e pela fidelidade aos ensinos apostólicos por ELE deixados.

O papa Francisco nos diz: “Todos nós os batizados somos discípulos missionários e somos chamados a nos tornarmos no mundo um Evangelho vivo: com uma vida santa daremos ‘sabor’ aos diferentes ambientes, como faz o sal; e levaremos a luz de Cristo com o testemunho de uma caridade genuína.”

Não nos esqueçamos da oração, pois nada pode substituir nem ter efeito sem esta ação do Espírito Santo, a fim de convencer as mentes mais duras, pelo interior da pessoa. Sem essa colaboração todos os esquemas se tornam apenas ações humanas, o que é pouco para converter pessoas.

 

 A Igreja precisa hoje de homens e mulheres que se deixem conduzir pelo Espírito Santo, que sejam pessoas de oração, ungidas pelo poder de Deus. Que a força do sim de Maria, a sua entrega total e destemida possa ser contagiante para todos nós neste mês e em toda a nossa caminhada eclesial.