Jesus Ressuscitado: Caminho, Verdade e Vida


As trevas da noite desapareceram e o sol despontou no horizonte. Assim que os primeiros raios de sol tocaram Jerusalém, Maria Madalena; Maria e a mãe de Tiago e Salomé se encontraram no local marcado. No dia anterior, elas haviam comprado perfume para embalsamar o corpo de Jesus. Foram, então, as três para o sepulcro em que jazia o corpo de Jesus.

Ao se aproximarem do lugar, elas tiveram o primeiro grande susto: a enorme pedra que servia de porta da gruta havia sido retirada. Será que o corpo de Jesus havia sido roubado? Quem poderia ter feito isso? Mais do que depressa, elas correram até a gruta e entraram sem nenhuma cerimônia. Veio o segundo susto! De fato, o corpo do Mestre não se encontrava no lugar, porém, um belo jovem, coberto de alvas vestes, as recepcionou dizendo estas belas e espantosas palavras: “Non est hic: surrexit enim, sicut dixit. Venite, videte locum, ubi positus erat” (Não está aqui: ressuscitou como disse. Vinde e vede o lugar em que ele repousou).

 

Ressurreição gloriosa de Jesus

O assombro que aquelas palavras causaram nas mulheres foi tamanho que elas começaram a tremer e, logo em seguida, fugiram correndo daquele lugar. Nenhuma palavra se fez presente entre elas, porque o terror sagrado havia se apossado delas. Terror esse produzido pela revelação, à queima roupa, da Ressurreição de Jesus.

A Ressurreição gloriosa do Senhor, aliás, é uma realidade central da fé católica e prova cabal da suprema divindade de Nosso Senhor. É o fundamento da fé que professamos: “também por nós foi crucificado sob Pôncio Pilatos; padeceu e foi sepultado. Ressuscitou ao terceiro dia, conforme as Escrituras, e subiu aos céus, onde está sentado à direita do Pai” (trecho do Símbolo Niceno-Constantinopolitano).

alegria voltou a tomar conta do coração dos discípulos. Na medida em que as horas avançavam, Jesus ia se apresentando a eles. Cada um pôde certificar-se de que era Jesus Ressuscitado. Eles puderam comer novamente com o Mestre, falar com Ele. Este encontro foi transformador para os discípulos de Jesus tanto que muitos deles deram sua vida em martírio para defender a Verdade do Evangelho.

O encontro de Jesus Ressuscitado com a Virgem Maria

As Sagradas Escrituras não narram o encontro de Jesus Ressuscitado com a Virgem Maria e, talvez, nem devesse narrar. O plano em que a Viagem Maria se encontrava naquela ocasião era superior a qualquer outro plano terreno ou natural. As palavras não alcançariam a precisão minimamente necessária para narrar este encontro. Se tentado fosse, certamente o esvaziaria, o rebaixaria, o empobreceria. Que bom que os evangelistas não ousaram fazê-lo.

As três mulheres, que nas primeiras horas do domingo haviam ido até o sepulcro para embalsamar Jesus, não tiveram por companhia a Virgem Maira. Por que isso aconteceu? Por que Maria não foi com elas para presenciar esse momento tão sublime? Aquelas mulheres, embora generosas, haviam se esquecido das palavras de Jesus proclamadas há bem pouco tempo. O próprio Jesus havia dito que ressuscitaria ao terceiro dia. A Virgem Santíssima, acreditando na promessa de Jesus, preferiu esperar o seu Filho glorificado. Quem sabe Ele já não estivesse com Maria, a sua mãe, no momento em que as outras mulheres perceberam que Ele não se encontrava no sepulcro?

Hoje, nós podemos rezar as seguintes palavras: “gaudete et laetare, Virgo Maria, quia surrexit Dominus vere, aleluia” (Rejubila e alegra-te, ó Virgem Maria, Aleluia, porque o Senhor verdadeiramente ressuscitou, aleluia!). Não mais precisamos chorar, Ele está vivo e ressuscitado no meio de nós. A dor, a angústia e a morte deixaram de ter a primazia em nossa vida.


FALE CONOSCO

  • Rua João Ridley Bufford,79 – Centro Santa Bárbara d’Oeste – SP
  • (19) 3044–3898
  • contato@operariosdamesse.org.br
  • Como Chegar

Pedido de Oração

Pesquise aqui